Taubaté

O município de Taubaté foi destaque no evento do Instituto Trata Brasil, “Casos de Sucesso - Avanços em Saneamento Básico 2015”, pelo desempenho positivo na expansão de serviços de saneamento do município.

Taubaté, junto à São José dos Campos, é uma das cidades do Vale do Paraíba. No Ranking do Saneamento Básico de 2021, a cidade ocupa 19ª posição.

O abastecimento de água no município é de 100%. Já o indicador de atendimento de coleta de esgoto é de 99,72% e 95,85% do esgoto é tratado.

Dados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento Básico (SNIS), plataforma de indicadores do Ministério das Cidades, apontam os seguintes números por parte de Taubaté:

Ano  Indicador de atendimento total de água (%) Indicador de atendimento total de esgoto (%) Indicador de Esgoto Tratado por água consumida (%)
2014 100 96,58 94,09
2015 100 96,58 94,70
2016 100 97,03 91,11
2017 100 98,91 91,06
2018 100 99,72 95,78
2019 100 99,72 95,85

O INSTITUTO TRATA BRASIL ENTREVISTOU A COMPANHIA ESTADUAL DE SANEAMENTO BÁSICO, SABESP, RESPONSÁVEL PELOS SERVIÇOS NO MUNICÍPIO. LEIA NA ÍNTEGRA:

Que esforços você destacaria como fatores mais importantes na gestão do saneamento local e que fizeram com que se chegasse a esta posição tão boa?
A Sabesp ocupa boa colocação no ranking porque elabora estudo de concepção, seguido de projetos de engenharia embasados em planejamento de investimentos e dotação orçamentaria, elencando serviços e obras factíveis no período correspondente. Além disso, desenvolve planejamento integrado e aderente ao Plano Diretor e ao Plano Municipal de Saneamento Básico. O estabelecimento de metas de atendimento, por meio de índices de cobertura dos sistemas de água e esgoto, a delimitação de áreas atendíveis, o controle da expansão de áreas clandestinas com atuação da municipalidade também contribuiu.

Quais desafios e problemas vocês enfrentaram para a melhoria do saneamento básico da cidade? Como resolveram para chegar nos indicadores atuais?
O atendimento à legislação vigente para a rápida elaboração de projetos de engenharia e execução das obras necessárias, a liberação de faixas e áreas de terceiros, além do licenciamento ambiental, compatibilizando as ações com dotação orçamentária necessária aos prazos de execução, mediante prioridades e metas estabelecidas, têm sido os principais desafios enfrentados para a melhoria contínua dos índices.

Investimentos sem uma boa gestão não trazem resultados. E o oposto? É possível ter sucesso com pouco recurso financeiro?
Notadamente os investimentos efetuados de forma continuada, na área de saneamento básico, devem ser precedidos de planejamento integrado de curto, médio e longo prazo, com projetos específicos e exequíveis. As obras executadas e relacionadas aos sistemas de saneamento básico, ao perderem eficiência, deixam de ser componentes reais e dos corretos indicadores dos índices de cobertura e atendimento.

Que conselhos vocês dariam aos gestores e empresas operadoras de outras cidades para que consigam melhorar os indicadores de saneamento?
Ter planejamento, foco em resultados, perseverança e equipe comprometida são fundamentais num processo de melhoria contínua.

Veja as fotos

  

NEWSLETTER

CONTATO

(11) 3021-3143