Indicadores de saneamento básico das sedes da Copa América no Brasil

A edição de 2021 acontece em solo brasileiro; quatro cidades sediam a competição

A partir de dados presentes no Painel Saneamento, iniciativa do Trata Brasil que tem como objetivo fornecer maior acesso sobre a situação do saneamento básico no país, é possível analisar os indicadores de saneamento das regiões brasileiras que estão sediando a Copa América 2021.

Após as desistências da Colômbia e da Argentina para realizarem a competição, ficou estabelecido o Brasil como anfitrião para os jogos da Copa América. Os jogos, que se encerram nesse sábado (10) com a final entre Brasil e Argentina no Rio de Janeiro, aconteceram em Brasília (DF), Cuiabá (MT), Goiânia (GO) e no Rio de Janeiro (RJ).

Um dos palcos para os jogos do torneio foi o estádio Mané Garrincha localizado em Brasília, na região que apresenta uma população de mais de 3 milhões de habitantes, 10,5% da população não tem acesso a coleta de esgoto e 82,3% do esgoto gerado é tratado, na cidade mais de 30 mil habitantes não tem acesso a água potável. Além disso, em Brasília 32,10% da água potável é perdida nos sistemas de distribuição.

A capital do Mato Grosso, Cuiabá, também sediou os confrontos entre as seleções sul-americanas, a cidade de 612 mil habitantes, onde está localizada a Arena Pantanal, apresenta 38,4% da população sem coleta de esgoto e apenas 52,9% do esgoto gerado é tratado. Na capital, 11 mil habitantes não têm acesso a água e 59,38% da água potável produzida não chega de forma oficial para população.

Uma das capitais brasileiras sede dos jogos, Goiânia, onde os jogos aconteceram no estádio Olímpico, a população da região corresponde a mais de 1,5 milhão; entre os habitantes, 12 mil não possuem acesso à água e 7,3% da população não tem coleta de esgoto, ademais 73,0% do esgoto produzido no município é tratado. Assim como Brasília, a capital goianiense está presente entre as 20 melhores cidades do Ranking Saneamento 2021.

O palco da grande final entre Brasil x Argentina acontecerá no estádio do Maracanã no Rio de Janeiro, a população da cidade carioca tem mais de 6 milhões de pessoas; na região, 104 mil habitantes não possuem acesso à água e 40,99% da água não chega oficialmente para os moradores. Ademais, o esgoto tratado na cidade corresponde a apenas 65,6% e mais de 922 mil pessoas não tem coleta de esgoto.

As quatro sedes brasileiras da Copa América ainda apresentam alguns desafios nos indicadores de saneamento básico. Para cumprir com as metas estabelecidas pelo Novo Marco Legal do Saneamento Básico, não apenas essas cidades precisarão cumprir com as metas, mas todo o país precisará oferecer água para 99% da população e coleta e tratamento dos esgotos para 90% dos habitantes brasileiros.

NEWSLETTER

CONTATO

(11) 3021-3143