Saneamento e Saúde na Região Norte

Ter água tratada, coleta e tratamento de esgoto proporcionam diversos benefícios para a população. No entanto, diversas regiões do Brasil não recebem estes serviços para toda a população, como é o caso da região Norte.

Enquanto o acesso à rede de água na região Norte chega a 57,1% da população, os serviços de esgoto, apresentam uma situação ainda pior. Cerca de 10,5% da população tem o esgoto coletado e o volume de esgoto tratado da região está perto de 21,7%. As perdas de água ocasionadas por furtos, vazamentos, erros de leitura de hidrômetros, entre outros, chegam a 55,5%, de acordo com Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento ? SNIS -, 2018.

Entre os diversos setores socioeconômicos que o saneamento afeta, o mais prejudicado é a saúde, derivada das doenças por veiculação hídrica que atingem direta e indiretamente a população.  De acordo com o Painel Saneamento Brasil, plataforma de dados criada pelo ITB, na região Norte, em 2018, a incidência de internações por doenças de veiculação hídrica foi de 22,50 internações por 10 mil habitantes, quase três vezes menos se compararmos há nove anos. Essa incidência teve como resultado mais de 40 mil internações por doenças associadas a falta de saneamento básico da região em apenas doze meses ano.

Com tantos casos de internações, houve um aumento nos gastos médicos nos estados da região. Dados mais recentes apontam cerca de R$ 14 milhões dispendidos ao tratamento de doenças por veiculação hídrica em 2018 na região Norte. Mesmo com essa quantia voltada ao tratamento, a região teve 207 óbitos por doenças associadas a falta de saneamento.

Apesar do saneamento na região Norte ainda estar distante do ideal, sendo considerada uma das piores regiões do país no setor, os investimentos realizados nos últimos nove anos, que giram em torno de R$ 4,6 bilhões, garantiram algumas consequências positivas, dentre elas, a geração de empregos nos investimentos e operações dos serviços de água e esgoto.  Só no ano de 2018, foram gerados mais de 9 mil empregos nos investimentos e mais de 20 mil na operação, resultando em um total de 30 mil empregos frutos do saneamento básico.

Abaixo, mostraremos um panorama geral do saneamento dos 7 estados que compõem a região Norte do país. Veja:

Acre

Parcela da população com acesso à água ? 47,1%
Parcela da população com acesso a coleta de esgoto ? 10,1%
Esgoto tratado sobre água consumida ? 18,8%
Perdas na distribuição ? 61,2%                                                                               Internações por doenças associadas a falta de saneamento ? 1.257

Amapá

Parcela da população com acesso à água ? 34,9%
Parcela da população com acesso a coleta de esgoto ? 7,1%
Esgoto tratado sobre água consumida ? 14,8%
Perdas na distribuição ? 68,1%                                                          Internações por doenças associadas a falta de saneamento ? 875

Amazonas

Parcela da população com acesso à água ? 81,1%
Parcela da população com acesso a coleta de esgoto ? 10,0%
Esgoto tratado sobre água consumida ? 29,7%
Perdas na distribuição ? 70,6%                                                                               Internações por doenças associadas a falta de saneamento ? 3.782

Pará

Parcela da população com acesso à água ? 45,6%
Parcela da população com acesso a coleta de esgoto ? 5,2%
Esgoto tratado sobre água consumida ? 8,0%
Perdas na distribuição ? 40,5%                                                                               Internações por doenças associadas a falta de saneamento ? 28.348

Rondônia

Parcela da população com acesso à água ? 49,4%
Parcela da população com acesso a coleta de esgoto ? 4,9%
Esgoto tratado sobre água consumida ? 9,6%
Perdas na distribuição ? 58,2%                                                                               Internações por doenças associadas a falta de saneamento ? 3.910

Roraima

Parcela da população com acesso à água ? 81,5%
Parcela da população com acesso a coleta de esgoto ? 51,7%
Esgoto tratado sobre água consumida ? 70,2%
Perdas na distribuição ? 73,4%                                                                               Internações por doenças associadas a falta de saneamento ? 1.051

Tocantins

Parcela da população com acesso à água ? 79,3%
Parcela da população com acesso a coleta de esgoto ? 26,4%
Esgoto tratado sobre água consumida ? 33,5%
Perdas na distribuição ? 34,9%                                                             Internações por doenças associadas a falta de saneamento ? 1.692

Para saber mais sobre o saneamento básico dos estados da Região Norte, acesse ao site:

NEWSLETTER

CONTATO

(11) 3021-3143