Painel Saneamento Brasil lança mais uma atualização

É sabido que a situação do saneamento básico no Brasil ainda é muito preocupante. O país possui aproximadamente 35 milhões de brasileiros sem acesso à rede de água potável (equivalente à população do Canadá), 100 milhões de pessoas sem coleta de esgotos (equivalente a 2 vezes a população da Espanha) e apenas 46% dos esgotos gerados são tratados. Mesmo passando por crises hídricas severas, as perdas de água potável nas redes de distribuição estão há 10 anos na faixa dos 38%.

A partir disso, buscando que mais brasileiros tenham acesso à situação do saneamento nas cidades onde moram, e reivindiquem os serviços, o Instituto Trata Brasil (ITB) lançou o ?Painel Saneamento Brasil? que em um primeiro momento, começou com indicadores das 254 localidades, chegando a 642, e no dia 7 de outubro de 2020, o painel acrescentou mais 251 municípios, completando 893 municípios ao todo. Atualmente, a plataforma conta com todos os municípios brasileiros acima dos 50 mil habitantes, que juntos formam 70% da população do país com 145,4 milhões de habitantes.

Nesta edição foram incluídos os municípios das 21 principais regiões metropolitanas acompanhadas pelo IBGE, exceto as capitais, cujos dados foram incluídos no lançamento do Painel Saneamento Brasil.  Os 251 novos municípios estão situados em 21 estados e nas 5 regiões.

Com a nova atualização foi apurado que essas cidades tinham população de 50 mil a 141,5 mil habitantes em 2018 , sendo 10,6 milhões de habitantes ao todo somando todos os novos municípios. Além disso, desse total, 76,6% tinha acesso aos serviços de abastecimento de água tratada e apenas 32,1% tinha acesso aos serviços de coleta de esgoto. Estima-se que nessas localidades ainda havia 2,488 milhões de pessoas sem acesso à água tratada e 7,224 milhões de pessoas sem coleta de esgoto.

O volume de água consumida nessas cidades alcançou 403,857 milhões de m³ e o volume de esgoto tratado somou 94,518 milhões de m³. Isso indica que apenas 23,4% da água consumida pela população foi coletada e tratada. Mostrando que ¾ do esgoto urbano dessas cidades retorna ao meio ambiente sem qualquer tipo de tratamento, o equivale 124 mil piscinas olímpicas de esgoto todo ano.

Essas carências refletiram nos indicadores socioeconômicos desses novos municípios da plataforma, que registraram 6,7 mil internações por doenças de veiculação hídrica em 2018, com incidência de 6,26 casos por 10 mil habitantes.

No universo dos 251 novos municípios estão cidades importantes, sejam pelo turismo ou por serem polos econômicos. Acesse o site e confira os dados das novas localidades:

NEWSLETTER

CONTATO

(11) 3021-3143