Inicio
Institucional
ITB na mídia
Notícias ITB
Meio ambiente e saneamento básico: um caso de atenção

Meio ambiente e saneamento básico: um caso de atenção

Guia de Niterói – O melhor guia da cidade de Niterói, Rj -
10/07/2017
 

Você consegue dizer com certeza se toda a população da sua cidade tem acesso ao saneamento básico? Saiba que, ainda que básico, o serviço é escasso em diversas partes do mundo, sendo uma grande dívida ambiental do Brasil. O acesso a água potável segura e saneamento básico é essencial para a saúde humana e sua sobrevivência. O Instituto Trata Brasil, aponta que 83,3% dos brasileiros são atendidos com abastecimento de água tratada, e mais de 35 milhões de brasileiros não tem o acesso a este serviço básico. A cada 100 litros de água coletados e tratados, em média, apenas 63 litros são consumidos. Ou seja 37% da água no Brasil é perdida, seja com vazamentos, roubos e ligações clandestinas, falta de medição ou medições incorretas no consumo de água, resultando no prejuízo de R$ 8 bilhões.

Pesquisas indicam que 75% dos empregos do planeta dependerão de água nos próximos anos. Por isso, o acesso e tratamento desse recurso serão determinantes para a geração de trabalho e crescimento da economia. De acordo com um último relatório divulgado pela ONU em parceria com a OMS (Organização Mundial de Saúde), na América Latina, estima que para cada milhão de dólar investido em esgotamento sanitário 100 novos empregos serão gerados. Além do benefício econômico, investir em saneamento é uma questão de saúde pública. Apenas com o acesso amplo à água potável e esgotamento sanitário é possível erradicar a fome, a pobreza e acabar com doenças relacionadas à má qualidade da água e falta de higiene.

Quando o assunto é fornecimento de água e coleta de resíduos, Niterói ocupa a primeira posição no Estado e a sexta no país em saneamento básico graças ao Projeto Se Liga, uma parceria da Secretaria do Ambiente, através da Superintendência da Baía de Guanabara, INEA e Prefeitura de Niterói, e da Concessionária Águas de Niterói, que até o momento já promoveu a ligação de mais de 971 imóveis à rede oficial de esgotamento da cidade, destes 91% já se conectaram, índice mais do que satisfatório, que representa a interrupção do lançamento indevido de 286 mil litros de esgoto por dia. O nosso trabalho é melhorar ainda mais no que diz respeito ao tratamento de esgoto em nossa cidade. Mas muitas dessas mudanças dependem diretamente da forma como lidamos com o lixo e preservamos nossas águas.

Investir em saneamento básico é um caminho seguro para restaurar a qualidade de vida em uma comunidade. Veja como VOCÊ pode ajudar a mudar o rumo do meio ambiente e da qualidade de vida da nossa sociedade:

Descartar corretamente o lixo produzido: embora esse seja um problema de destinação de resíduos, o lançamento de lixo nos solos, mares, rios e lagoas ainda é uma das principais causas da degradação ambiental. Ações que ajudam a mudar esse cenário envolve não jogar lixo orgânico, entulho, pneus usados na rua, nas encostas e terrenos baldios e se preocupar em separar resíduos orgânicos dos recicláveis;

2) Acabar com as ligações clandestinas e vazamentos: do total de água tratada no Brasil, cerca de 35% é perdida em vazamentos devido às ligações clandestinas. Trata-se de um crime ambiental que prejudica toda a cidade e seus moradores;

3) Não acumular água parada: reter água em recipientes, pneus, garrafas e vasos de planta é um prato cheio para a reprodução do Aedes aegypti. Sem falar no acúmulo de sujeira nesses locais. Mantenha suas caixas d’água com a tampa;

4) Promover o reuso da água: cada vez mais aumenta o número de indústrias que investem em centros de tratamento e reuso da água em suas instalações. Condomínios, academias, hoteis e até residências são provas de que isso já pode ser feito. Dessa forma, o esgoto é previamente tratado e a água é reutilizada em atividades como o resfriamento de turbinas, por exemplo. Uma cadeia de produção limpa do início até o descarte!

5) Descartar corretamente o óleo de cozinha usado: você sabia que jogar óleo pelo ralo pode entupir a tubulação da sua casa, além de comprometer as redes públicas de esgotamento sanitário? Confira aqui os postos de coleta: http://www.clin.rj.gov.br/?a=reciclagem_oleo_vegetal

6) Se preocupar com o esgoto coletado na sua casa: você sabe para onde vão os resíduos que saem da sua residência? É importante estar atento e denunciar práticas como o uso de fossas ou despejo sem tratamento nos rios e córregos, mares e lagoas. Se souber de alguma dessas irregularidades, me envie um e-mail indicando o local.

Valorizar a educação ambiental: diversos profissionais se dedicam a orientar a população sobre o uso inteligente da água e preservação desse recurso. Os “leituristas”, ou agentes comerciais, por exemplo, ajudam a identificar vazamentos de água, consumo ou qualquer outra dúvida relacionada a saneamento. Já os assistentes sociais distribuem informativos, promovem reuniões com moradores, palestras e pesquisas que orientam a população sobre o tema.

Precisamos incentivar e valorizar essas pequenas ações em nossa sociedade. Zelando pelo nosso bem-estar e de nossas famílias. Saneamento básico é um direito de todos, e meu dever será lutar e garantir isso.

CLIQUE AQUI PARA RECEBER MAIS CONTEÚDOS

Leandro Portugal – Advogado, 33 anos. Nascido e criado em Niterói, amor incondicional pela cidade. Eleito VEREADOR em seu primeiro mandato.

www.facebook.com/LeandroPortugalRj

www.instagram.com/LeandrinhoPortugal

www.twitter.com/Leandrinho_Nit

www.leandroportugal.com.br



Outras Notícias

Copyright 2013 - Instituto Trata Brasil - Todos os direitos reservados.