Jean Gorinchteyn, novo embaixador do Trata Brasil

O Instituto Trata Brasil é composto por um grupo de embaixadores que além de representar a instituição, apoia as ações pela universalização do saneamento. São 29 embaixadores, entre eles estão pesquisadores, especialistas em saneamento básico, nomes importantes da literatura brasileira, atletas olímpicos e médicos assim como o mais novo embaixador do ITB, Dr. Jean Gorinchteyn.

Dr. Jean apresenta ampla vivência profissional na área hospitalar, adquiridos em 20 anos de atuação como médico e professor. Formado em medicina pela Universidade de Mogi das Cruzes, Dr. Jean é médico do Instituto de Infectologia de São Paulo, mestre em doenças infecciosas e com vários trabalhos publicados sobre o tema.

Conversamos com o médico, professor e embaixador do Instituto Trata Brasil, Jean Gorinchteyn, sobre os impactos, desafios e soluções da falta de saneamento básico e da alta quantidade de esgotos que são despejados a céu aberto no país. Confira!

Entrevista – Jean Gorinchteyn

– De acordo com dados da UNICEF, cerca de 1 bilhão de pessoas não apresenta acesso a banheiro e consequentemente o contato com esgoto e fezes a céu aberto é maior. Quais impactos isso pode causar à sociedade?

O fato de nós termos uma grande parte da nossa população ainda longe e distante de saneamento básico, implica no contato direto das pessoas com diferentes dejetos, sejam eles fezes ou lixo, além de consequentemente a não ingestão de água encanada e com isso a utilização dessa própria água contaminada para o cozimento de alimentos ou para simplesmente o ato de beber. Então com isso, a chance de transmissão de doenças, sejam elas parasitárias ou bacterianas, juntamente a proliferação de roedores e insetos, que também são vetores de doenças, é muito grande.

Qual a importância de discutir o assunto saneamento no país?

O saneamento básico em um país é uma conduta que mostra exatamente o posicionamento que ele tem em respeito e dignidade a sua população. É fundamental que nós nos preocupemos com os adolescentes e crianças, que são os mais impactados com os quadros de diarreias e com a mortalidade, assim como doenças parasitarias que comprometem igualmente essas crianças, levando até mesmo a quadros de anemias. A partir disso, devemos repensar no nosso saneamento básico, pois assim pensaremos no nosso futuro, que são as nossas crianças. Pensar no desenvolvimento saudável dessas crianças, garantimos dessa forma um adulto que saiba quais são seus papeis em termo de cuidado do seu local de moradia, assim como o ambiente em seu entorno.

– Qual a solução para a atual situação da saúde pública e saneamento básico no brasil?

Para que haja realmente um saneamento básico adequado, tem que existir interesse dos poderes públicos, tanto estaduais, municipais e federais, no sentido de não apenas criar estratégias locais de distribuição de água tratada e esgoto fazendo com que os próprios mananciais não sejam comprometidos, mas também para toda a comunidade, em especial aquelas que apresentam indústrias em seu entorno. Essas indústrias também contribuem muito com a poluição, e deveriam ter as suas responsabilidades implicadas à medida que são instaladas em determinas regiões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Médico e professor Jean Gorinchteyn é o novo embaixador do ITB

Tempo para ler: 2 min
0