O turismo é uma atividade econômica que não se desenvolve adequadamente em regiões com falta de água tratada, coleta e falta de esgotamento sanitário. A contaminação do ambiente por esgotamento compromete, ou até anula, o potencial turístico de uma região.

O estudo “Benefícios Econômicos e Sociais da Expansão do Saneamento” (2017) mostra que se houvesse saneamento básico adequado em todas as áreas urbanas do país poderiam ser quase 7 milhões de pessoas ocupadas no setor. Isso indica que em 2015 houve uma perda 200 mil postos de trabalho devido à falta de saneamento. Agregando-se os empregos indiretos seriam 315 mil novos postos de trabalho no turismo.

Do ponto de vista ambiental, deve-se ter em mente que o saneamento favorece as atividades em o solo. Isso porque o saneamento valoriza as construções existentes e possibilita edificações de maior valor agregado, o que implica aumento do capital imobiliário das cidades. Além de elevar o valor dos ativos e empreendimentos imobiliários, o saneamento possibilita o aumento e a valorização das atividades econômicas que dependem de condições ambientais adequadas para seu exercício, como é o caso do turismo.

A renda desperdiçada com as atividades turísticas subdesenvolvidas alcançou, estimativamente, R$ 9,4 bilhões no ano de 2015. Foram R$ 5,8 bilhões de renda do trabalho que deixou de ser gerada e R$ 3,6 bilhões de lucros e impostos que deixaram de ser arrecadados por conta da degradação ambiental de áreas por falta de saneamento básico.

Especialmente em áreas de grande tradição turística, como o Nordeste, o impacto seria maior. A região perdeu R$ 2,6 bilhões de renda do turismo em 2015 pela falta de saneamento, o que representou 27,5% das perdas no turismo brasileiro como um todo. Em termos de comparação do Brasil com os países vizinhos, aquelas economias latino americanas com melhor desempenho na área do saneamento têm fluxos internacionais e turistas relativamente maiores.

No Brasil, esse número foi de apenas 31 turistas por mil habitantes. E isso ocorreu no ano em que o país sediou a Copa do Mundo de Futebol.

Como cidadãos, temos que ter em mente, entretanto, que somente as ações e os recursos do Governo Federal não serão suficientes. É preciso cobrar mais nossos governantes de todas as esferas (a incluir estaduais e municipais), principalmente considerando que saneamento básico é um direito humano, previne doenças, economiza recursos em saúde pública e valoriza o turismo diversas regiões.

Confira mais dados de turismo:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

A importância do esgotamento sanitário em cidades turísticas

Tempo para ler: 2 min
0