No que refere ao esgotamento sanitário, a falta de regularização em algumas áreas é um dos principais problemas que interferem na sua acessibilidade. Infelizmente o destino mais comum dos esgotos, tanto em áreas irregulares, quanto nas áreas regularizadas, é o lançamento direto nos corpos hídricos, o que agrava a situação de doenças e poluição.

Em muitos lugares do Brasil a situação ainda é crítica, infelizmente, mais de 100 milhões de brasileiros ainda não possuem serviços de coleta de esgoto e tratamento de água, esse cenário é uma ameaça para qualidade de vida da população.

Conforme o atlas da ANA, os esgotos não coletados (38,6%) têm destinos diversos: fossas rudimentares ou negras, lançamento em rede de águas pluviais ou em sarjetas, disposição direta no solo e nos corpos d’água. Os esgotos coletados e não tratados (18,8%) são lançados em corpos hídricos pelas prestadoras de serviço.

Tendo em vista esse cenário gravíssimo e desordenado, é muito importante que todas as casas estejam conectadas à rede de esgoto, as vantagens de expansão do saneamento básico e redes de esgotos são incontáveis e garantem a valorização social como um todo. Fazer a ligação à rede de esgoto é um serviço necessário para que o país possa caminhar para o desenvolvimento efetivo.

Saiba se sua casa está liga à rede de esgoto da concessionária da sua cidade

  • Identifique se na calçada da sua casa ou comércio existe o ponto de ligação, que está coberto por uma tampa de metal com o nome da concessionária da sua cidade. (Fonte: G1/Cesan);

 

  • Se a sua casa já possui sistema de esgoto, faça a ligação. (Fonte: G1/Cesan)

 

  • O esgoto ligado corretamente à rede da concessionária da cidade segue da rede coletora para as elevatórias, que acumulam o esgoto para redirecioná-lo para uma Estação de Tratamento de Esgoto. (Fonte: G1/Cesan)

Confira mais dados sobre esgoto:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Minha casa está conectada à rede de esgoto? Saiba mais!

Tempo para ler: 1 min
0