Foto: via Web

Sabemos que os indicadores de saneamento apontam dados espantosos no país. De acordo com os dados atualizados do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS 2016), atualmente, os novos números não mostram diferença em relação aos anos anteriores; 35 milhões de brasileiros não têm acesso à água tratada e mais de 100 milhões não são contemplados com coleta dos esgotos, e em relação ao tratamento dos esgotos, este número é de apenas 44,92%.

Com esse cenário é fácil notar que setor do saneamento há décadas sofre grande déficits, tanto não apenas por falta de investimento, políticas públicas vontade política, mas por falta também de tecnologias.

Para entender a relação do setor do saneamento com as startups, é preciso entender o que elas fazem. Resumidamente as startups são empresas  jovens e buscam a inovação em qualquer área ou ramo de atividade, procurando desenvolver um modelo de negócio escalável.

De acordo com matéria que saiu na UOL neste domingo (17) sobre o assunto, as Startups estão à frente de algumas soluções interessantes que usam tecnologia  para combater as deficiências do saneamento e abastecimento de água.

As novas tecnologias do setor são de extrema importância para avançar principalmente na universalização do saneamento. Algumas startups estão trabalhando em busca de iniciativas que tragam benefícios para o setor de saneamento para o país, inclusive o UOL tecnologia listou algumas delas:

Evento Iguá – “Como podemos levar mais eficiência à infraestrutura de saneamento?”

Foto: Iguá Saneamento

No dia 11 de junho, a equipe do Instituto Trata Brasil esteve no evento ” Como podemos levar mais eficiência à infraestrutura de saneamento?” que aconteceu no Cubo Networking em São Paulo.

O encontro abordou os desafios enfrentados pelas empresas de saneamento no Brasil e como a aproximação com startups pode contribuir para a criação de soluções capazes de trazer mais inovação e eficiência para o setor.

Participam do debate mediado por Renato Mendes (Aceleradora Orgânica), Gustavo Guimarães – presidente da Iguá, Daniel Grynberg – Yunus Negócios Sociais, e Alexandre Rodrigues, CEO e Co-Fundador Evnts. A mediação é de Renato Mendes, .

Saiba mais sobre o evento:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Como as startups podem mudar o setor do saneamento?

Tempo para ler: 2 min
0