As comunidades irregulares espalhadas por todo o país enfrentam diariamente a precariedade de serviços, tanto sociais quanto educacionais. Há enormes dificuldades que impedem a implantação de atividades, como falta de interesse político, da população, falta de segurança e etc.

Uma das formas mais eficazes que as lideranças e população encontram são os projetos sociais. Por intermédio de projetos, é possível transformar uma realidade por meio de ações que capacitam principalmente crianças e adolescentes.

As ações sociais podem vir de diversas formas, atualmente existem projetos educativos por meio de cursos profissionalizantes, saúde e qualidade de vida, música, religião, literatura e também projetos voltados ao meio ambiente, saneamento básico e reciclagem.

O Instituto Trata Brasil conta com a área de projetos sociais que possui o intuito de mobilizar e conscientizar a população de formas educativas a importância do acesso aos serviços de saneamento. Confira entrevista com a líder de projetos sociais do Trata Brasil, Edna Cardoso.

Entrevista sobre Projetos Sociais em comunidades irregulares -Edna Cardoso – Líder de Projetos Sociais do Trata Brasil

Edna Cardoso – Líder de Projetos Sociais do Instituto Trata Brasil

– Tomando por base a sua experiência, quais as dificuldades de estabelecer projetos em áreas vulneráveis?

São várias as dificuldades, começando por falta de recurso para execução, precisamos de patrocinadores para custear a execução dos projetos. O Instituto Trata Brasil é uma organização da sociedade civil de interesse público, temos vários projetos que podem transformar a vidas das pessoas, mas precisamos que as empresas tenham esse olhar para a sustentabilidade de social.

Além disso, a resistência da Comunidade, os moradores dessas áreas já não acreditam em mais nada, devido a muita promessas e pouca ação.  Mas o nosso papel é mostrar que juntos podemos fazer e buscar as mudanças, lembrando que água tratada e coleta e tratamento de esgoto é um direito de todos e só precisamos nos organizar e reivindicar.

– O que altera uma realidade?

Primeiramente bons projetos de acordo com cada realidades, temos que avaliar com cautela cada cenário para poder efetivar as atividades dentro das comunidades. Envolver a comunidade para que ela sinta-se parte do projeto e deixar que o cidadão tenha liberdade para se expressar e querer mudar o cenário em que vive. Uma das etapas mais importante é acompanhamento do antes e depois, para que todos possam se beneficiar dos resultados e quantificar esses resultados. E por último, mas não menos importante comprometer-se com a causa, acreditar no propósito.

– Quais as principais queixas das pessoas que moram nessas áreas?

Nas comunidades em que estive, notei que as principais quixas foram: a falta de infraestrutura: como água tratada, coleta e tratamento de esgoto e moradia digna, saúde, que como todos sabem é precária, ainda mais nos postos de saúde, políticos que só aprecem nas eleições, que não cumprem as promessas e que eles gostariam de ser ouvidos.

– Como saber se este projeto está funcionando?

Através da própria população beneficiada, com oficinas participativa onde todos relatam as mudanças e o que projeto está trazendo ou trouxe de benefícios, seria  própria percepção da comunidade.

– O que ocorre após o término das ações do projeto?

Desde 2010 sou responsável pela coordenação de campo, todos os projetos do Trata Brasil continuam vivos dentro das pessoas, elas cuidam, sabem da importância de ter um serviço de água tratada e coleta e tratamento de esgoto, os benefícios que ele trouxe para saúde, melhor qualidade de vida, dignidade e a importância de ter um endereço.

– Você acha que iniciativas sociais/voluntárias podem, de fato, mudar a realidade de uma comunidade?

Sim, as iniciativas sociais são de extrema importância, principalmente para o fortalecimento das lideranças comunitárias para realização de mudanças no cenário. Em 2017, o Trata Brasil divulgou documentário que apresenta o depoimento das lideranças de quatro comunidades e lá eles contam um pouco de como foi a mudança após a implantação dos projetos em suas comunidades. Vale a pena conferir!

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Qual o impacto dos projetos sociais em comunidades irregulares?

Tempo para ler: 3 min
0