O saneamento é básico na prevenção de doenças e produz efeitos positivos para o país tanto em termos econômicos, quanto sociais. Água de qualidade, coleta e tratamento dos esgotos, destino correto do lixo e drenagem da água da chuva, produzem melhorias em diversos setores da sociedade. No Brasil são mais de 35 milhões de pessoas sem o acesso à água tratada, e 100 milhões não têm acesso ao esgoto. Somente 42% dos esgotos do país são tratados.

Infelizmente a maioria das pessoas no país, de todas as classes sociais, ainda é indiferente a este assunto. Falta indignação. A sociedade precisa se manifestar mais, e se mobilizar. Precisamos saber com quem podemos realmente contar para mudar a situação. 

A Pastoral da Criança e o Instituto Trata Brasil desenvolvem ações para que as comunidades tenham seus direitos atendidos e acesso a serviços públicos de saneamento de qualidade. Ciente do seu compromisso, em colaboração com tradições religiosas e instituições, estas duas instituições apoiaram desde o início a escolha deste tema para a Campanha da Fraternidade 2016. Como gesto concreto, convidaram os milhares de líderes voluntários para a observarem em seus ambientes, nossa “casa comum”, o que precisa ser feito para melhorar a comunidade. O esgoto não pode correr a céu aberto.

Os maiores impactos da falta de saneamento estão nas famílias de baixa renda. Muitas delas residem em locais com maior risco de transmissão de doenças por vetores como: mosquitos, ratos, baratas, e o lixo que é jogado em rios e nas ruas. O mosquito Aedes aegypti é uma ameaça à saúde, e transmite a dengue, chikungunya e Zika, possível causa de microcefalia em crianças.

A busca de soluções para contenção destas doenças é urgente. Como sabemos, uma das principais causas da proliferação do Aedes aegypti é a água parada em pneus, vasos, copinhos plásticos e outros recipientes a céu aberto. Mas, a falta de saneamento básico também está ligada com a proliferação de mosquitos.

Devemos olhar nossa cidade como um todo para assim podermos dar início ao combate efetivo do mosquito. A forma mais simples para se prevenir da dengue é evitar o nascimento do mosquito, já que não existem vacinas ou medicamentos que combatam a contaminação.

– Chikungunya, Zika e Dengue são mais presentes em lugares sem saneamento

 Os três vírus mais populares do momento são transmitos por um mosquito que se reproduz em locais sem saneamento básico adequado (lixo amontoado, esgoto à céu aberto, água parada). Milhares de pessoas em nosso país estão sendo infectadas em todo país, de Norte a Sul. A proliferação do mosquito pode ser interrompida se houver a colaboração de todos. Comece em sua casa e na sua comunidade.

Como prevenir estas doenças?

– Não jogue entulhos e lixos nas ruas;

– Lute para acabar com a poluição de córregos e rios;

– Elimine todos os focos de água parada que puder;

– Remova o lixo dos quintais;

– Limpe canaletas externas e ralos;

Nos casos suspeitos procure o serviço de saúde com urgência. Saiba quais os sintomas:

– Febre alta, tontura, náuseas e vômitos;

– Dor de cabeça, nos ossos, nas articulações e atrás dos olhos;

– Perda do paladar e apetite;

– Manchas e erupções na pele, principalmente no peito e cabeça;

– No caso de Dengue hemorrágica, sangramento pelo nariz, boca e gengivas.

 

2 Resultados

  1. Kayllane disse:

    Quero saber fôrmas de previnir 👀👀👀👍

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Doenças relacionadas ao saneamento básico. Como prevenir?

Tempo para ler: 2 min
2