Foto: Pixabay

No Brasil, mais de 35 milhões de brasileiros não têm acesso a serviços de saneamento básico. No Estado do Rio de Janeiro, 92,15% da sua população é abastecida com água tratada. 64.54% da população fluminense tem acesso à coleta dos esgotos e somente 33,67% são tratados. Os números são divulgados segundo o SNIS 2015 (Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento).

Em continuidade aos estudos sobre os Benefícios Econômicos e Sociais da Expansão do Saneamento no Brasil, o Instituto Trata Brasil, em parceria com a Ex Ante Consultoria Econômica, publica o diagnóstico “Benefícios Econômicos e Sociais da Expansão do Saneamento no Rio de Janeiro”.

O estudo faz um balanço dos benefícios e dos custos do avanço do saneamento no Rio de Janeiro. O diagnóstico mostra as relações entre o avanço do saneamento e a mortalidade infantil, estimativas dos efeitos de geração de emprego, as externalidades da falta de saneamento, as quais compreendem os impactos decorrentes do déficit de saneamento sobre a saúde, a produtividade do trabalho, o atraso escolar e a valorização ambiental.

Dados do estudo mostram que a universalização do saneamento no Estado do Rio de Janeiro em vinte anos é de R$ 26,3 bi, sendo R$ 10,3 bi somente para a cidade do Rio. O balanço dos benefícios, em vinte anos, já pagando os investimentos é de R$ 43 bi para o Estado e R$ 14 bi para o município carioca.

Apresentação no Museu do Amanhã – saneamento no Rio de Janeiro

Nesta quinta-feira, 23 de novembro de 2017, o Instituto Trata Brasil divulgou o estudo “Benefícios Econômicos e Sociais do Saneamento no Rio de Janeiro” no evento “A Baía do Amanhã – Sociedade”, no Museu do Amanhã no Rio de Janeiro.

Confira fotos:

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instituto Trata Brasil lança estudo sobre saneamento no Rio de Janeiro

Tempo para ler: 1 min
0